fbpx

Gestão emocional na crise de Coronavírus

por Bruno Fontana | | , , ,

Você vai desejar fazer a gestão da sua emoção durante a crise de Coronavírus. Estamos vivendo uma crise mundial. Em meio a um turbilhão de demandas e preocupações é pouco fácil manter a calma e a mente tranquila para encontrar soluções inteligentes.

Contudo, a crise está aí para a maioria das pessoas. A partir de agora, quanto mais controle você tiver sobre a sua mente, mais conseguirá diminuir o impacto da crise e, quem sabe, até mesmo crescer através dela.

Aqui você saberá o que fazer em situações de crise e como manter sua mente tranquila para pensar. Não falarei sobre o Coronavírus, caso deseje saber especificamente sobre ele, acesse este texto no blog:

Tudo Que Você Precisa Saber Sobre o Novo Coronavírus.

Compreenda as regras do jogo

fazer gestão de crise

Existem negócios que quebram ou diminuem na crise e negócios que prosperam ainda mais. Isso reflete na vida de todos nós. O comportamento do consumidor tende a ficar mais voltado à sobrevivência, seja pela falta de recursos ou até mesmo pelo medo generalizado do futuro.

Ou seja, há um movimento intenso de diminuição de oferta e procura. Com isso, a necessidade de se reinventar de maneira estratégica é gigante. Resiliência é o nome do jogo. Para que haja resiliência é necessário que você controle com maestria a sua mente. Falarei mais a frente sobre como fazer isso.

Antes, é fundamental que entenda os 3 momentos naturais de aprendizagem das crises, são eles:

Pré-crise

É o dia a dia normal, quando tudo está do “mesmo jeito”. Nesta fase, quando não estamos em crise, é importante nutrir uma mentalidade preventiva em todos os campos da vida.

Perceba que, se você tivesse guardado mais dinheiro, hoje estaria diferente. Se você tivesse cuidado mais da sua saúde e elevado sua imunidade, talvez não estivesse com medo. Se tivesse diversificado sua fonte de renda, talvez com produtos e serviços diferentes, estaria mais tranquilo agora.

Ou seja, o primeiro aprendizado é prevenção. Prevenção é uma mentalidade, uma filosofia de vida, não apenas uma palavra.

Crise

Quando a bomba já estourou. É o momento que a maior parte das pessoas não tem maturidade emocional para lidar. Sentimentos de desespero, medo, raiva e culpa se sobressaem. É a fase que separa os “homens dos garotos e as mulheres das garotas”.

Antes de falar sobre como fazer a gestão emocional nesta fase, perceba que há atitudes práticas que devem ser tomadas. A primeira atitude é olhar para o seu estilo de vida e cortar custos momentaneamente. Não tenha vergonha de negociar taxas, aluguel e outros serviços. Lembre: todos estão passando pelo mesmo momento.

Porém, não corte totalmente produtos e serviços que elevam a sua capacidade de pensar e melhoram seu estado emocional, isso fará toda a diferença no resultado final.

É um momento rico de aprendizagem. As habilidades desenvolvidas durante a crise farão toda a diferença quando ela passar. Pense de forma criativa sobre como você pode aumentar a sua renda e, pelo menos, se manter.

Se você é autônomo ou está sentindo a pressão financeira da crise, perceba que para a maioria não é hora de crescer, mas sim desenvolver as habilidades necessárias para vencer seus limites e ampliar seu nível de consciência sobre sua própria força.

Pós crise

Quando a crise passa a economia se reergue com força. Nesta fase, todas as pessoas que aproveitaram a crise para se desenvolver internamente colhem resultados acima da média.

Se você foi ao encontro da sua força durante a crise, usou sua criatividade, se desenvolveu e conseguiu passar por ela com “menos machucados” que a maioria, se considere um grande vencedor!

A partir de agora você colherá ainda mais resultados. Toda a demanda reprimida da população sairá para fora. As pessoas que tiveram sua liberdade ferida, sua capacidade de compra diminuída, seus lazeres prejudicados agora querem viver com mais intensidade.

É exatamente nesta fase que você irá colher os resultados positivos, caso tenha desenvolvido as habilidades emocionais e comportamentais necessárias durante a crise.

Gestão emocional na crise – passo a passo

gestão emocional na crise

1) Respiração:

Um exercício simples usado pela Marinha Norte Americana para o controle do estresse em situações de alto risco. Respire pausada e profundamente. A respiração consciente, muito usada na meditação, oxigena o cérebro e possibilita um melhor processamento de informações.

2) Controle do diálogo interno:

Freud traz a teoria do Ego, Super Ego e Id. O Super Ego é aquela conversa interna que você tem com você mesmo. Uma conversa normalmente crítica e repleta de julgamentos.

Nesta fase é comum conversas internas como “nada vai dar certo”, “eu não presto para nada”, “era para ter feito tudo diferente”, “não era para ter escolhido isso”. Traga sua consciência para essa tendência e perceba que o medo generalizado ou a culpa não trarão resultados desejados.

A partir de agora talvez você perceba que isso só trará prejuízos, ou seja, como adulto você pode escolher como agir, inclusive com você. Alimente conversas internas acolhedoras e tranquilizadoras.

Perceba que, embora as coisas estejam pouco fáceis, você não está correndo um risco real de perder a vida, que é seu maior bem. Lembre: a vida é cíclica e feita de fases, o próximo passo, após ter se tranquilizado, é direcionar sua atenção para um futuro desejado.

3) Visualização:

Essa é uma técnica poderosa, usada pelos maiores treinadores comportamentais do mundo para a criação de futuras realidades. É necessário que, principalmente em épocas pouco fáceis, você mantenha a prática de olhar para o futuro e montar o seu futuro perfeito.

Mentalize, com todos os detalhes e cores, como será a sua vida após a crise. Como será suas conquistas. Use sua mente criativa para criar. Coloque cores, sensações e sabores em sua visualização. É importante que tenha emoções positivas, pois isso será o combustível a partir de hoje.

Para o cérebro, imaginação e realidade são a mesma coisa. Fazendo esse exercício você melhorará seu diálogo interno ao mesmo tempo em que fomenta crenças possibilitadoras.

4) Metas de curto prazo:

Essa é a hora do pé no chão. Perceba que o primeiro passo, respiração, acalmou a sua mente para que pudesse ter um diálogo interno mais fortalecedor e tranquilo. Depois, com essa conversa com você mesmo foi possível visualizar um futuro perfeito, imaginando com detalhes como será depois da crise.

Agora, depois disso feito, você irá focar no agora. Metas de curtíssimo prazo, olhando para o que você fará em cada hora do dia. Porém, após ter feito os 3 primeiros passos, o quarto passo terá um valor emocional melhorado, mais tranquilo.

Abordagens externas para controle do estresse

crise coronavirus

Caso você queira controlar estados de estresse e ansiedade gerados pela crise com ajuda externa, leia nosso artigo:

O que é e como tratar o estresse imediatamente.