Se você nos acompanha, deve saber que oferecemos uma experiência multissensorial, e como o nome remete: várias sensações e estímulos.

Porém, na prática o que isso quer dizer e quais os reais benefícios? Elevar o nível de concentração em um atendimento expresso de massagem, será possível?

 

Sim. Isso acontece devido ao uso de duas ferramentas extremamente potentes e importantes pilares da nossa prática: o estímulo olfativo e a condução meditativa.

 

Você já deve ter ouvido falar sobre meditação, e a importância dessa prática hoje em dia. Não mais em cenários apenas “zen”, mas sim no meio empresarial, educacional, desenvolvimento pessoal, saúde, treinamento, alta performance e por aí vai.

 

O que provavelmente você ainda não deve ter ouvido falar é sobre tratamentos tanto emocionais quanto físicos através do olfato. Se ouviu, dificilmente levou a sério ou conseguiu sentir o impacto disso. Essa reação é extremamente natural, pois é algo que foge do nosso campo de visão, do que entendemos como comum em relação a formas de cura e tratamento.

 

O quero que você tente entender para que consigamos subir de nível e concluirmos com êxito essa etapa é o seguinte: não conceber isso como possível é, além de tudo, biológico. Pois, os seus neurônios ainda não haviam feito ligações o suficiente para “naturalizar” essa informação e torna-la sua. Portanto, causa estranhamento.

 

Inclusive, para que você faça uma iniciação em relação ao potencial dos 5 sentidos na saúde física e mental, leia esse artigo [AS 5 JANELAS PARA UMA BOA SAÚDE, OU NÃO].

 

A Aromaterapia é uma prática terapêutica que trabalha com óleos essenciais, esses óleos são 100% concentrados, orgânicos, naturais. O aroma de determinados óleos realiza funções distintas no organismo que vão desde a diminuição de dores físicas a questões emocionais.

 

Para ficar mais “tangível”, é só você lembrar da nebulização, que é por meio de inalação e é um meio convencional de tratamento. Inclusive, os óleos essenciais também são usados para este fim.

 

Dito isto, vamos trazer para a realidade do nosso atendimento.

 

O ATENDIMENTO – CONDUÇÃO MEDITATIVA E ESTÍMULO OLFATIVO

A meditação de forma geral não é exatamente não pensar em nada, como muito se confunde por aí. Também não é ligada a nenhuma religião. Faz parte de rituais de diversas culturas, porém, se propagou com mais força como pertencente do budismo.

 

Hoje, a neurociência comprova, via análise da função elétrica do cérebro, que a meditação é extremamente potente para a diminuição quase que instantânea da ansiedade e estresse. Não obstante, se feita com regularidade, também exerce um papel importante no aumento exponencial da concentração, raciocínio, saúde integral e diminui a reatividade – respostas agressivas aos estímulos externos ou a terceiros.

 

É uma importante ferramenta no processo de autoconhecimento. Porém, muitas pessoas queixam-se de não conseguir tempo ou “saberem meditar”. É natural que expressem isso, partindo do princípio de que poucas sabem o que é e como se faz meditação na prática.

 

Meditar não é sentar, cruzar pernas, fechar olhos, pôr a língua no céu da boca, as mãos nos joelhos com as palmas para cima e não pensar em nada. Pode ser uma forma de meditar, mas não a regra.

 

Na verdade, meditar é a busca por um estado de espírito mais elevado, um estado de tranquilidade, de encontro consigo mesmo, de aquietação da mente – não que não possa pensar em algo – uma forma de treinar a sua mente para estar mais presente no momento do que vagando por uma realidade que não é a sua neste momento. Pode ser observando uma criança, uma planta, a natureza, o chão, observando seus sentidos, olhando para o horizonte, etc. O mais importante é exercitar a capacidade de estar totalmente presente no momento.

 

Vendo agora essa definição de meditação, imagino que você já tenha ligado os pontos e concluído que esses benefícios vão de encontro ao aumento da concentração, pois, concentração nada mais é do que a capacidade de estar por inteiro no momento em que se vive, experimentando o seu potencial para realizar a ação que está sendo empreendida neste momento.

 

Para pessoas que têm a habilidade desenvolvida, é possível atingir um estado meditativo ou de concentração plena de forma consciente e com um tempo menor que um minuto. Mesmo que haja barulho, entre outros motivos para que se desvie a atenção.

 

Portanto, para quem está em um nível de iniciação é quase imprescindível que não haja fatores externos atraentes a um cérebro destreinado, como sons diferentes, movimentações, falas, etc.

 

Pensando nisso, tanto nos benefícios que são primordiais para uma vida abundante quanto na dificuldade que as pessoas têm de meditar, trouxemos essa prática para o nosso atendimento sem nem mesmo você se dar conta disso – agora você sabe.

 

Temos uma condução padrão no início e término do atendimento, que inclui exercícios de respiração e específicos de meditação. O profissional riversense busca trazer a sua consciência para o seu corpo, para o agora, sua respiração, os elementos da música e o aroma que está sentindo – aroma este com propriedades diretamente ligadas ao ganho de concentração, potencializando os resultados.

 

O profissional faz isso através da fala, do toque, da música e do aroma de alecrim, específico para este fim. Tornando a atmosfera do atendimento algo particular, propícia à vivência em qualquer lugar devido ao uso dos fones, toque, aroma e condução.

 

Para outros benefícios da Aromaterapia e os óleos mais usados e fáceis de manipular, leia esse artigo aqui [O POTENCIAL DA NATUREZA QUE NÓS NÃO USAMOS – AROMATERAPIA

 

Todos atendimentos têm essa mesma condução. Dos 10 aos 20 minutos, mudando a intensidade apenas.

Ao trazermos estes benefícios para um atendimento de massagem expressa, aumentamos exponencialmente as chances de você conseguir extrair o que uma meditação oferece, mas de forma relaxante, prazerosa e fácil. Além de ser um conjunto integrado de práticas que favorecem e potencializam os resultados para além da meditação, como se já não fosse o suficiente.

 

 

# compartilhe conteúdo de valor 🙂

 

 

Até o próximo texto.

Bruno Fontana.